quarta-feira, 24 de junho de 2009

TEU OLHAR ME INCENDEIA

Teu olhar me incendeia
De amor generoso
De perdão gratuito .
Teu toque me excita a intensidade virtuosa
Tua ciência me desnuda plenamente .
Sou-te translúcido. Nem te sou rubro.
Sou a mim, que não me conheço.
Minhas defesas me fazem bobo.
Minhas desculpas, um tolo.
Sou nu para ti, completo e sempre.
Teu sopro suave sobre minha Derme
Arrepia minhas aspirações
Eriçados os sonhos . Os bons.
Tua simplicidade humilha minha pompa
E me ensina. Derruba. Acorda. Põe-me em desacordo.
O silêncio teu faz os meus ruídos serem insuportáveis.
Depois eles fogem. Então aquele silêncio, que eu quis praguejar...
Me conforta , suporta meu peso, me cabe inteiro, me guarda. Protege.
Teu olhar me incendeia. Me conforta as veias com seiva de amor.

5 comentários:

Dimes disse...

Ricardo Caval, sou fã das tuas poesias, crônicas, pensamentos...

Muito bom pow!

Abração!

Nara disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Larissa disse...

"O silêncio teu faz os meus ruídos serem insuportáveis."

gostei dos seus textos...
bjossss

Marcio disse...

Arrepiei agora. Mandou muito bem.

Ricardo Cavalcante Morais disse...

Obrigado pelas postagens!