quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

UMA SOLUÇÃO PARA O EXAME DA ORDEM...

A famigerada reputação do Exame da Ordem dos Advogados do Brasil pode ser transformada, muito mais pessoas serão aprovadas nele, o exame terá eficiência muito maior, apoio por parte dos estudantes e bacharéis bem mais largo e ainda se tornará muito mais justo e honesto. Tudo isso a partir de uma simples separação entre as etapas do exame.
É fácil notar que a dependência entre as etapas da prova torna a avaliação muito mais estressante e altamente desestimulante, opondo aos examinados enormes barreiras emocionais e psicológicas em geral, sem trazer qualquer acréscimo qualitativo em relação à avaliação no que diz respeito à preparação acadêmica dos examinados.
Para ficar mais claro... O Exame da Ordem é composto por duas etapas dependentes, uma de múltipla escolha e uma discursiva. Os que são aprovados na primeira etapa, em menos de um mês em média, devem se preparar para a segunda. Se aprovados se habilitam para comporem os quadros da Ordem, os reprovados nesta segunda fase são obrigados a iniciarem todo o processo e refazerem a primeira fase na qual foram aprovados e mais uma vez a segunda.
Agora, imagine você nesta situação. Tendo sido reprovado apenas na segunda fase, muitas vezes por décimos de pontos, ao invés de dedicar seu tempo apenas para corrigir o que declinou seu desempenho naquela etapa, ter que se preocupar novamente com a primeira fase, reviver a ansiedade e o desgaste da espera e ainda se preparar para a outra prova que exige uma técnica de realização completamente diferente. Faz sentido? Lembre que você já demonstrou aptidão na primeira etapa uma vez.
Assim, mais lucidamente trabalhada a idéia, quem duvida de que com essa medida as aprovações e a satisfação geral do bacharelado em Direito do país seriam muito maiores? E o mais importante: sem comprometer a finalidade do exame e, ainda, potencializando sua eficiência uma vez que avaliaria mais a formação do bacharel – o que de fato importa- do que sua obstinação ou habilidade de lidar com situações desgastantes e emocionalmente prejudiciais tais quais ansiedades e estresse.
Diante disto, você já deve ter concluído que, realmente, separar as duas etapas, permitindo que o examinando aprovado na primeira tenha que se submeter apenas à fase discursiva da prova, ainda que por um período determinado de dois ou três anos, criaria as condições de transparência e honestidade necessárias para avaliar de fato a preparação do examinando, pois este realizará ambas as provas com muito mais tranqüilidade e esforço pessoal. Neste sentido, estará sendo eliminado um poderoso elemento de desmotivação. Afinal quem nunca deixou de realizar bem algo que sabia por estar prejudicado emocionalmente?
Destarte, em nome do debate crítico em torno da temida prova, fica o convite ao aprofundamento da reflexão aqui exposta que, sem temor na fala, pode-se afirmar já ter povoado a cabeça de muitos bacharéis. Neste sentido, já que pode ficar melhor, que tal melhorar.

Lançamentos de Livros de Ricardo Caval

video

Este é um vídeo com fotos de eventos nos quais fiz lançamento ou exposição de livros. Em breve estarei publicando mais alguns. Entre os quais estão na "boca do forno" o livro de Poesias "Badalos Silentes" e o a obra acadêmica "Compatibilidades e Dissensos enre Segurança Jurídica e Estado Democrático de Direito", fruto da minha dissertação de monografia.